Movimento Sindical

Representação de Trabalhadores combate projetos Governistas de privatização da Eletrobrás.

30.03.2018

MP 814/17 e PL 9.463/18 caminham com dificuldade na Câmara.

.

Na primeira audiência realizada nesta terça feira (27/03), pela comissão mista, encarregada de analisar a medida provisória MP 814/17, que autoriza a privatização da Eletrobrás, representantes de trabalhadores e governistas divergiram acerca do mérito da MP.

De acordo com o representante do coletivo Nacional de Eletricitários, Ikaro Chaves, o modelo de controle estatal é adotado em todos os países que, a exemplo de Brasil, tem produção de energia elétrica predominantemente por hidrelétrica.

“Das dez hidrelétricas do Brasil, nove contam com a participação da Eletrobrás, que vende a energia mais barata do mercado”, enfatiza Chaves.

Ele afirmou ainda que, o objetivo do governo Michel Temer, ao autorizar a privatização da Eletrobrás é criar um ambiente especulativo, sem espaço para fontes alternativas de energia e alertou que as consequências serão um aumento entre 16% e 17% na conta do consumidor residencial.

Segundo representantes do governo, o modelo de privatização da Eletrobrás, não é o principal tema da MP 814/17, pois o modelo estaria sendo debatido no projeto 9.463/18 do poder executivo que está sendo debatido na Câmara.

Enquanto representantes dos trabalhadores e governistas divergem, a comissão especial da Câmara, criada para analisar o PL 9.463/18, deveria ter aprovado o plano de trabalho com as datas das sete audiências públicas para debater o tema com a data de votação do relatório do

Deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), indicado para o dia 23/04.

Porém a primeira audiência que era prevista para logo após a aprovação do plano de trabalho, no dia 27/03, já foi cancelada.

Os representantes dos trabalhadores Eletricitários continuam trabalhando intensamente, para combater o projeto de privatização e entrega do patrimônio público brasileiro.

Com informações informativo Linha Viva, Intersindical dos Eletricitários de Santa Catarina.

Compartilhe:
Postado por: admin

Deixe o seu Comentário aqui!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *